quinta-feira

A corrupção da classe política em funções em Portugal. A lista VIP do Fisco



Na sequência das demissões do DG da AT e do Sub-director importa reflectir no seguinte que hoje questiona a democracia, o estado de direito e corrói completamente a confiança no Governo e mina a confiança na máquina fiscal que assumiu práticas de protecção "política" relativamente a pessoas ricas e influentes e práticas pidescas relativamente ao comum dos portugueses típicas das ditaduras fascistas.

Vejamos como está hoje a funcionar a cadeia de comando político da III República:

- O PR - Cavaco Silva - só já não demitiu este podre Executivo porque precisa dele para concluir o seu mandato presidencial com alguma dignidade.

-  O Governo- na figura do evasivo contributivo Pedro Passos Coelho - agradece o relaxe de Belém e sobrevive com os balões de oxigénio que o PR concede.

- A ministra das Finanças - Afirma, em campanha eleitoral miserável, que o Estado tem os cofres cheios de dinheiro, só não diz que isso ocorre à custa do esbulho aos salários e pensões dos portugueses, cujo país regista uma taxa de desemprego de 17% e não os 13% que a propaganda do Governo proclama. Mª Albuquerque pretende esconder o elefante que está no meio da sala, e esse elefante chama-se corrupção no Fisco através da sua cadeia de comando, o seu secretário de Estado dos Assuntos Fiscais.

- O secretário de Estado da Penhora & Confisco - Paulo núncio - concebeu e desenvolveu informalmente métodos e práticas junto da AT para que esta proteja contribuintes ricos e influentes amigos do governo - que o ajudariam a ganhar as eleições - em detrimento da generalidade dos contribuintes. O que prefigura um ataque fascista aos portugueses e coloca em causa o regular funcionamento das instituições em Portugal, razão bastante para que o PR dissolva a AR e demita este cadáver adiado ainda dirigido por Pedro Passos Coelho.

Ou seja, o PR não controla o PM porque precisa dele para ficar na história e concluir o seu mandato presidencial; o PM não controla o seu secretário de Estado da Penhora (do CDS) porque este tem trabalhado para ocultar o caso Tecnoforma - blindando o Fisco - que compromete até ao pescoço o próprio Pedro Passos Coelho, daí a razão de ser dessa Lista VIP, e daí também a hiper-protecção política que o próprio PM lhe dá, pois ao fazê-lo está a proteger-se a si próprio.É uma pescadinha de rabo na boca.

O país assiste hoje à desagregação da Autoridade Tributária, à fraude da democracia, à violentação do estado de direito, pois nenhum português tem hoje os seus direitos, liberdades e garantias salvaguardadas, ainda que tais valores e normas estejam previstas na Constituição. 

Tem sido através desta forma capciosa que Paulo Portas, que tem ascendente político sobre Paulo Núncio (e líder dum partido com 6% nas intenções de voto), tem controlado Passos Coelho, e quando se demitiu e tornou "irrrevogável" a sua demissão foi a forma de dizer ao PM - que queria ser promovido a Vice-PM, e Passos Coelho, com receio de que os seus podres fiscais viessem à tona, cedeu. 

Tudo isto é bom de ver: um escândalo em torno da vida pessoal, empresarial e política do PM - que pôs o Governo a trabalhar para dissimular esse problema, e não para governar Portugal. 

Numa palavra: cavaco Silva deveria ter dissolvido a AR e convocado eleições em 2013 em nome do interesse comum dos portugueses, e não permitir que o Executivo permanecesse em funções para convencer os amigos empresários - ricos e influentes (lista VIP) - a financiar o PSD de Passos Coelho e o CDS de Paulo Portas, obcecados que estão em manter-se no poder. 

É sempre do Poder que se trata!!! 

E às vezes é mais do que isso: criar um pretexto, ou vários, para não ir parar à cadeia.

__________


Etiquetas: ,

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home