quarta-feira

Dois factos "interessantes": Portugal tem os melhores campos de Golfe e a Pobreza a subir. A sombra de Angola

O GOLFE, OS POBRES PORTUGUESES E ANGOLANOS... E A CORRUPÇÃO


Com efeito, o XIX Governo (in)Constitucional poderá "orgulhar-se" de algumas das suas boas políticas e práticas viradas para o lazer, sendo que uma dela é a de criar condições para que tenhamos os melhores campos de golfe da Europa, uma tarefa dinamizada pelo sector do Turismo (tutelado pela Economia) e que vê nisso uma fonte valiosa de receita. Em si, a notícia é positiva. 

Portugal tem 9 dos 100 melhores campos de golfe da Europa, de acordo com um ranking do conceituado sitewww.top100golfcourses.co.uk. A nível nacional, o Monte Rei foi considerado o melhor campo do País, sendo seguido do Oitavos Dunes, no 2º lugar, e do Oceânico Old, no 3º.

Espanha e Portugal continuam a ser os destinos de eleição para os praticantes de golfe que procuram climas mais quentes”, pode ler-se, na explicação que acompanha o ranking.


No que diz respeito à pobreza - os dados são contrastantes com o sector do Turismo, pois temos mais pobres em Portugal, um fenómeno que afecta sobremaneira crianças e idosos, uma circunstância que, em larga medida, se fica a dever às erradas políticas públicas obsessivamente levadas a cabo por Passos Coelho e pela forma ultra-liberal como gere e organiza a economia e a sociedade. 

Mas não é por haver excelentes campos de golfe em Portugal que existem cada vez mais pobres, a pobreza radica na incapacidade de quem ainda exerce o poder e não consegue identificar outro modelo de desenvolvimento para a economia nacional. Um modelo que continue a garantir a existência daqueles campos de golfe mas, ao mesmo tempo, reduza substancialmente as causas geradoras da pobreza estrutural entre nós. 

O resultado está à vista e a OCDE, uma organização independente, certifica essa conclusão. 


No relatório de avaliação de Portugal, divulgado esta segunda-feira, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) refere que "Portugal tem uma distribuição de riqueza das mais desiguais da Europa e os níveis de pobreza são elevados", referindo que a atual crise económico-financeira veio interromper uma fase de declínio gradual tanto da pobreza, como das desigualdades.

_______________

Um 3º elemento, para compor este brilhante "ramalhete desenvolvimentista", remete para a nota infra (Facebook), em que se explicita aquilo que 10 milhões de portugueses já sabem. São factos lamentáveis que desfilam nas sociedades contemporâneas, separadas por continentes onde, aliás, deixámos uma história e uma língua comuns, e, como se vê, também na depauperação dos respectivos povos (português e angolano) Portugal não se diferencia muito do seu país-irmão, Angola - um país onde a corrupção é quase uma regra de vida. 

Em Portugal, os indicadores da corrupção ainda são preocupantes:


O ideal seria pensarmos que vivemos hoje todos no melhor dos mundos possível, seguindo o optimismo do Cândido de Voltaire, e de como tudo isto não passa de contra-informação e dumas brincadeirinhas do FB. 




__________


Etiquetas: , , , ,

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home