terça-feira

O experimentalismo fiscal do CDS-PSD no Governo


Paulo Núncio, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, sublinha que a proposta da maioria pretende responder às propostas do PS e defende que o regresso das deduções à coleta com imóveis, PPRs, seguros de saúde e lares é uma garantia de que os contribuintes sem filhos não sao prejudicados.
Por isso, diz, deixa de fazer sentido a clausula de salvaguarda. «O que se pretende com esta proposta é manter e melhorar as deduções à coleta e garantir que os contribuintes ficam com um regime mais favorável do que acontecia em 2014»
Os contribuintes sem filhos já não são prejudicados (...)

__________

Obs: A ideia que fica é que o actual Governo tem uma visão instrumentalizadora e altamente manipuladora da sua política fiscal, a qual vai ajustando consoante a natureza e timing do ciclo eleitoral e o receio que a credibilidade e força da oposição, no caso o novo PS, vai inspirando ao cadáver adiado ligado à máquina por um acto egocêntrico de Belém. 
Era previsível que tal ocorresse, com governantes com pés-de-barro e que têm da política uma visão exclusivamente numérica, para quem só interessam os números. 

________________________

Etiquetas: , ,

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home