sábado

Meta-Poesia, VF

Sinto na Angústia o Quem me Lembrasse

Sinto na angústia o quem me lembrasse 
e do lembrar a mim como uma ponte 
onde de noite já ninguém passasse 
viesse a notícia desse outro horizonte 

em que o meu grito preso na garganta 
dissesse à voz que não ouvi e veio 
quanto cansaço inverosímil, quanta 
fadiga me enternece como um seio. 

Vibrátil voga vaga pela tarde 
que em cigarros distrai o eu estar só 
a chama obscura que visível arde 
quando arde ao sol o pó. 

Vergílio Ferreira, in 'Conta-Corrente 1' 
_____________

Etiquetas:

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home