terça-feira

Portugal eleito na ONU. Nem Machete previu uma votação tão expressiva

Portugal eleito na ONU. Nem Machete previu uma votação tão expressiva


Portugal foi eleito esta terça-feira para o Conselho de Direitos Humanos da ONU com 184 de 193 votos possíveis.


Rui Machete: "Convencer por dentro é mais eficaz do que a crítica exterior"

Rui Machete: "Convencer por dentro é mais eficaz do que a crítica exterior" / Reuters



_________

Obs: O dr. Machete sabe que não é apenas o terrorismo globalitário que causa dor e sofrimento às pessoas, em particular as deserdadas e mais desprotegidas (os refugiados de guerra, por ex.). A corrupção, a exaustão das chamadas matérias-primas estratégicas também causa danos brutais à economia, ao ambiente e às pessoas, a maior parte das quais vive ainda com menos de 1 dólar perd day. 

Em Angola, por exemplo, e é um caso que nos é próximo pela língua e pela história, há diariamente violações graves aos direitos humanos. Até em Portugal, com a distribuição da riqueza essa realidade limita grande parte da população a aceder aos bens essenciais à vida. O Portugal de Passos Coelho - de cujo governo do dr. Machete é parte - conta já com cerca de 3 milhões de pobres. Numa população de 10 milhões de habitantes, ou menos, isto é grave. 

Uma vez que Portugal conseguiu esta vitória politico-diplomática cabe agora ao titular das Necessidades gizar uma política (internacional e acertada no quadro multilateral) pro-activa pela defesa e promoção dos DH.

Veremos o que nos vai sair na rifa, a ajuizar pelas múltiplas azelhices cometidas por um homem que hoje já está fora do tempo. E o tempo está muito para além dele.

Neste quadro, pergunte-se ao dr. machete o que vale mais em Angola: os direitos humanos (onde essa realidade ainda é uma palavra vã!!) ou os negócios..., muitos dos quais de origem criminosa, conforme notícias avulsas que percorrem várias sedes do crime internacional e são conhecidas de todos.

Esta será, porventura, uma grande oportunidade diplomática para Portugal afirmar nos fora internacionais o que vale a nossa concepção do mundo em matéria de direitos humanos e na forma como melhor podemos acautelar e promover a sua defesa, sem qualquer condicionalismo. Nem os do petróleo, nem os do dinheiro ou diamantes... 

_____________



Etiquetas:

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home