quarta-feira

A palavra e o incognoscível - a raiz do universo vergiliano -

Sente-se sempre falta daquilo que  o outro não percebe...
- Pouco mais somos senão a consciência das nossas sensações.



Ao embate de um sentir que é o o da original relação do eu com o mundo, a palavra é um impossível ou chega já um pouco tarde. E acaso uma língua não se "escolheu" a si mesma nessa relação primordial com o mundo, para ser depois aí a organização dos limites de um pensar? (...) Porque não se decide de um pensar, pelo pensar, mas pelo fundamento no incognoscível de nós

Pensar


A interrogação do incognoscível. Aí está, seguramente, a raiz obscura que dinamizou desde sempre o pensamento vergiliano e sua obstinada busca da palavra fundadora. Aquela que revelasse não só o real autêntico, mas principalmente a possível verdade definitiva do eu que sente, pensa e nomeia esse real. 

__________________________


Etiquetas: ,

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home