segunda-feira

O poder avassalador da abstenção: o monstro da pobreza em Portugal




Razão tem Manuel João Vieira (ex-vocalista dos Ena-Pá 2000) quando quis criar o Partido da Abstenção. 
- Na prática é ele, esse miserável partido silencioso que caminha subterraneamente, como um assassino que planeia meticulosamente o seu crime, que tem dirigido os negócios da República, e nos últimos 10 anos tem dirigido mal, como sabemos 
- Tudo com a cumplicidade, a apatia, a indiferença, a irresponsabilidade, a cobardia de todos e de cada um de nós, portugueses. Os de dentro do rectângulo, e os de fora, da diáspora. 
  - Alguns desses agentes políticos têm beneficiado dessa apatia. Fizeram uma carreira, governaram-se, ganharam prestígio e status  em nome do povo e do país que os elegeu, ou não elegeu, e nada deram ao país como contrapartida do muito que dele receberam. 
- O sujeito que aparece na imagem supra é, talvez, aquele figurante da república que melhor encarna essa triste realidade que empobreceu Portugal e os portugueses durante a última década. Com a agravante de ter desprezado a cultura. Pois só um ser sem cultura pode fazer isso. 
- Um tempo literalmente perdido a coberto da cobardia da srª abstenção. Um facto demasiado importante que nos deverá levar a meditar, nem que seja para corrigirmos algo, ou evitar que tamanha sinistralidade política ocorra de novo em Portugal. 

Obs: Imagem picada aqui.
__________________

Etiquetas:

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home