quinta-feira

O riso nervoso e estéril de Passos Coelho: o estarola de S.Bento


Ele ri de quê, afinal?!


Um homem possuído pela paz está sempre a sorrir, como diz Milan Kundera. 

- Porém, o sorriso de Passos é de origem nervosa, ele ri e cora simultaneamente, como documenta a imagem. Fá-lo como se estivesse comprometido, a evocar aqueles meninos que roubam rebuçados e chocolates nas mercearias de província e, um dia, porque os roubos se tornam regulares, o pai do menino é chamado pelo dono do estabelecimento que lhe diz: "ou o senhor puxa as orelhas ao seu filho e proíbe-o de vir aqui, ou participo o roubo à população antes de o comunicar à polícia"..., para que todos fiquem sabendo o menino que educou. 


- Passos evoca esse menino relapso que, curiosamente, também foi assim no cumprimento das suas obrigações à segurança social (não pagando as suas contribuições durante 5 anos seguidos, alegando, pasme-se, desconhecimento da lei!!!) e junto da Autoridade Tributária. Como quem confunde vida ideal com vida real...e, assim, tenta ludibriar os portugueses.

- É uma vergonha este sorriso, de origem nervosa e carregado de complexo de culpa pelo mal que fez a Portugal e aos portugueses. 

- É também por isso que esconde a boca com as suas manápulas, como quem oculta o fel que dali brota por ter sido apeado do poder e ver o seu estatuto diminuído. Passo, no fundo, ri para esconder o seu fel e o seu rancor, a sua IRA. 

- Este é o verdadeiro Passos..., que, no fundo, ri de si próprio  e da bela "obra" que deixou no país. Foi por isso que foi corrido do poder, não obstante o papel de ama-seca do ainda PR, o sr. Silva. 

- Mas este não ri, nem sorri... Ele lá saberá porquê... 
_____________


Etiquetas:

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home