quarta-feira

A imprecisão e imprudência de António Costa aproveitada pelo oportunismo demo-populista de alguns


A frase de Costa que a direita aplaude: Portugal está melhor que há quatro anos.



António Costa reconheceu, num encontro com chineses, que Portugal está numa situação "bastante diferente" da que estava há quatro anos - para melhor. A direita lançou o vídeo no Facebook e está a dar polémica. link
___________
Obs: Em política, por vezes, ou muitas vezes, a forma como as coisas são ditas sobrepõe-se à sua substância, ou seja, o edil da capital e candidato a PM, que anda a virar frangos há décadas, já deveria saber que a prudência e o realismo das comunicações públicas são a fonte do sucesso. 
De facto, os chineses, o seu brutal investimento em Portugal (energia, comércio, fundos/capitais, saúde, seguros, habitação, restauração, etc) aumentou exponencialmente desde 2011, mas isto não se deve ao facto de Sócrates ter saído do poder em 2011 e ter entrado para S. Bento uma dupla de incompetentes que tem, literalmente, destruído o tecido económico nacional, expulsado pessoas do país, aumentado a taxa de desemprego, a carga fiscal (e a sua distribuição), agravado a pobreza e as desigualdades sociais entre os portugueses. Deve-se a  razões de acumulação de riqueza interna na própria China que já não encontra dentro de si margem para desenvolvimento, daí a emigração de capitais para os países da Europa. 
Em relação a isto o cds, que tem a legitimidade de 6 ou 7% - nada diz. Pois a sua preocupação consiste em mandar umas atoardas para o ar para ver se instala a confusão de molde a que incompetência de S. Bento (na Justiça, na Educação, na Saúde, nos Negócios Estrangeiros, etc) passe pelos intervalos da chuva.
O oportunismo do eurodeputado do cds, que procurou lançar a confusão - apenas porque o candidato do PS a PM sublinhou o óbvio e fez uma declaração ambivalente - está na razão directa da forma parcial e ambígua com que A.Costa pretendeu sublinhar que o investimento chinês maximizou alguns sectores da economia em Portugal sem, com isso, ter tirado o país do abismo em que ainda se encontra. Foi isto que faltou A.Costa dizer. Ou seja, melhorou no volume de investimento chinês em Portugal (na áreas supra-referidas), mas tal não é - nem era expectável que fosse - condição suficiente para por a economia nacional a crescer, a gerar riqueza, emprego, prosperidade e bem-estar.
Mas como A. Costa - anda preocupado com as taxas da água em Lisboa, entre outros problemas autárquicos confluentes com o Estádio da Luz - que consomem qualquer líder, é muito natural que algumas comunicações não sejam particularmente conseguidas, com a agravante de os assessores, ou alguns deles - que têm um excesso de "filosifite analítica" na cabeça - também não ajudarem à festa. 
Quanto à direita em Portugal - urge dizer uma coisa, ou melhor duas: é muito reaccionária e pouco progressista. E é pena. 



_________________

Etiquetas: , ,

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home