sábado

Balada dos Cãotribuintes - Boris Vian -

  • Dedicada ao estarola de Massamá, não apenas por ser o pior PM desde 1974, mas por sê-lo cumulado com a faceta de player experimentalista que mais impostos cobrou às pessoas, às famílias e às empresas em Portugal. É a esse verdadeiro amador da política à portuguesa, mais troikista do que a troika - que APRISIONOU - 10 milhões de portugueses - que este poema de Vian encontra destino. Um destino trágico. Não há pior PRISÃO do que essa.  



Balada dos CãotribuintesSomos nós os desventurados 
Os pobres contribuintes 
Obrigados a sofrer até ao fim dos tempos 
A sorte a que imper 
A que impertubáveis 
Nos condenam os nossos governos 
Todos os nossos governos 

Se meteres cem francos de gasolina 
Oitenta vão para o Estado 
Olha cheio de concupiscência 
Os Cadillac... Olha pra outro lado 
No teu dois cavalos de brincar 
Saltita ao longo dos caminhos 
É uma sorte poderes circular 
Amanhã vão-to proibir 
Taxa sobre o álcool e a cerveja 
Sobre os definitivos e os provisórios 
Sobre o triste celibatário 
Castigado por ser só um 
Controlam-te todos os passos 
Ah compraste um belo naco 
Tudo corre às mil maravilhas 
Paga guloso paga prò saco 

Refrão 

Numa bandeja o Estado dá-te 
Um prato... apanhas um desgosto 
Está vazio E tu admiras-te 
Mas é o prato do imposto 
Tu passeias pela vida 
De peito feito cheio impante 
Cuidado com o imposto sobre a energia 
É para ontem... ou mesmo antes 
Um belo dia sobre o oxigénio 
Ligar-te-ão o contador 
Tarifa simples o ar do Sena 
Tarifa dupla o ar da serra 
Eis porém que tu te fartas 
Preferes andar aos caídos 
Ou tornar-te engolidor de facas... 
Taxa de engolidor acrescentada  [...]

Etiquetas: ,

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home